Como Será Universidade Estadual Paulista Em Presidente Prudente ?

Para alguns, a pós-graduação é uma forma de aprofundar alternativas da escola. Pra outros, podes ser o caminho para mudar por completo as trajetórias da carreira. Segundo Sérgio Lex, pró-reitor de extensão e educação continuada da Instituição Mackenzie, a especialização lato sensu é a melhor para as pessoas que quer mudar de profissão. Pra Cristiane Alpersted, diretora de peculiaridade acadêmica da Universidade Anhembi Morumbi, a proposta de aprofundamento de conteúdo da pós-graduação socorro pela colocação profissional em alguns segmentos. Alpersted lembra que é preciso verificar as exigências do curso antes de se aventurar numa área inteiramente nova.

Advertisement

Anne Caroline Bitencourt Lima, 33, se formou em fisioterapia, em Porto Feliz, em 2004. Após um MBA em marketing, mudou de área e abriu um bistrô em São Paulo. Depois de uma tentativa frustrada de fazer mestrado no ramo de fisiologia do exercício, decidiu alterar de carreira e começar a trabalhar como estagiária numa organização de comunicação. A decisão rendeu à ex-fisioterapeuta uma pós e nove anos de carreira pela publicidade.

Mais há pouco tempo, Anne juntou os conhecimentos na área da saúde com os que obteve no marketing para elaborar tua própria empresa. O ânimo que faltava no escritório sobrava pela distração descoberta em viagens de família: a fotografia. Após um curso básico, ingressou em uma pós-graduação no Senac para se aprofundar na técnica. Com o desafio dos colegas, que lhe lembraram trabalhos e possíveis caminhos a seguir, o hobby enfim se transformou em ganha-pão. Patrícia, que aconselha outras pessoas com perguntas pela carreira a variar de área. Viagens a trabalho, equipes pra coordenar, um excelente salário, reuniões e mais reuniões. Se aquilo era sucesso profissional, não era o que Thaís Perez, 32, queria.

Advertisement

Montada em publicidade, com MBA em marketing e 10 anos em multinacionais, ela não se sentia consumada. Maestro Sergio Alberto De Oliveira começar por uma amiga, descobriu a equoterapia, um método que utiliza cavalos pra estimular o desenvolvimento de pessoas com deficiência. Começou a pesquisar sobre isto e foi fazer um ciclo não remunerado na área. Depois, fez pós pela Fundação Rancho GG, em Ibiúna, no interior de São Paulo. Retrospectiva De Obras De João Ribeiro Junior diz que o aprendizado foi árduo, sobretudo por não ter vindo da área de saúde.

  1. Frase com só uma expressão não fica bem
  2. Crie ou não um perfil
  3. três Maneira de ingresso
  4. dois - UFRJ; há dezoito anos
  5. doze - Veduca
  6. De tempos em tempos, retome o assunto
  7. A TI e o duelo no combate aos gargalos pela infral
  8. quatro A “tragédia dos comuns”

Todavia credita a ele a expectativa de ter deixado o trabalho anterior pra fundar a Estância Tordilha, em Indaiatuba (SP), dedicada à equoterapia pra meninas. Camila Negretti, 33, trabalhou como fonoaudióloga por 9 anos e deu consultoria pra executivos, porém sempre quis ter teu respectivo negócio. Fez, dessa maneira, uma pós em administração no Insper.

Advertisement

Hoje, ela é dona de uma esmalteria, todavia a primeira criação ainda lhe é proveitoso. Camila diz que não se arrepende das escolhas. Quando terminou a universidade de economia, Ana Carolina Ramos, 30, trabalhava em um banco de investimentos. Após 2 anos ali, entediada, quis retornar a entender. Decidiu fazer uma pós em moda e formação pela Universidade Santa Marcelina, em SP. Pra ela, o superior estímulo foram as aulas de desenho. A oportunidade de alterar de área veio ao ler uma entrevista da estilista Glória Coelho.

Ramos ordenou um e-mail para a estilista contando sobre a sua criação dupla e conseguiu um emprego. Imediatamente está focada em teu doutorado na área de negócios. Desenvolvida em educação artística, Graziele da Silva, 27, chegou a oferecer aulas de artes plásticas, todavia um dificuldade de saúde causado pelo pó de giz a obrigou a procurar uma nova área.

Share This Story

Get our newsletter